domingo, 13 de dezembro de 2009

Na tua busca

Sou os sentidos
dos teus dias suntuosos
que na pele sente franzir...

Sou o conceito que te cobres
no teu louco jeito de amar,
que te abusa da paixão
entre os excessos da alma
a te prender no meu existir.

Aprofundado em desejos
e na tua completa loucura,
os meus sentimentos abusivos
faz-me em ti buscar
a tua ríspida e acentuada razão.

Assim, sou o afeto
que te tens no peito,
sou tua busca do amor-perfeito
a te alegrar o coração!

(Poeta- Dolandmay)

sexta-feira, 13 de novembro de 2009


De um louco Amor!

Nunca tivera o meu calor
Apenas o meu desejo
Que no irreal te deu um beijo
Alucinado de amor.

Quanto eu tiver em ti tão perto
Sentindo teu aroma todo em mim
Do irreal quero um deserto
Da minha dor eu quero o fim...

Vendo à hora por ti chegar
Pega em chamas o meu ser
Por sentir, amor, o teu tremer
Por sentir o teu amar.

Num querer que no meu peito é dor
Por não te teres minha querida
Sentindo ilusão sem teu fulgor
Que seja um vento em despedida.

Nunca eu tivera louco assim
Por uma alma encontrar...
Que venha em mim a ti mirar
Que venha breve, amor, enfim...

(Poeta- Dolandmay)

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Paixão desigual

Da alvorada chega à noite...
E a tanto perco o afoite
Que sinto no meu peito!

O amor dela me é lembrado...
Nada vejo ao meu lado
Já estou preso não tem jeito!

Talvez um dia possa esquecer
A melancolia que há em mim...

A paixão dela que se perdeu...
Foi demais me esqueceu...
Se enganou num amor sem fim.

Quando ela viver no coração
A paixão, possa sofrer
Pelas promessas que me deu...

Das magias, dos desejos...
Das orgias e daqueles beijos...
Quem amou foi apenas eu!

(Poeta- Dolandmay)

domingo, 18 de outubro de 2009

ftp://

Veracidade

"... Às vezes, deixamos de ser feliz!...
Não porque não queremos, mas porque
Não sabemos lidar com a realidade!"

(Poeta- Dolandmay)
Translúcido

"...Sim, neste mundo transparente, às vezes
Vivemos a vista de ninguém, outras vezes,
Como árvores esquecidas, mas sempre há
Uma esperança de que alguém nos veja!..."

(Poeta- Dolandmay)

domingo, 13 de setembro de 2009


Cálice-Perfeito!

Eu amo a vida
Que a mim deras...
Ó pai da chama;
Pai das esferas!
A quem clama
Quem tudo sente
O Amor no peito
Tão mudamente.

Eu amo a estrada
Que eu caminho...
Mesmo alucinada;
Água é meu vinho.
E Cálice-Perfeito
Da abelha é o mel;
A fonte imortal
Como tu és do céu!

Eu amo meu fado
No mau da noite
Que me foi dado
Por tanto afoite.
E nada se engana
Nos mistérios teus;
Pois em tudo ama
Porque é Deus!

(Poeta- Dolandmay)
Princípio ...

É Neste mundo
Que a gente ama,
Onde tudo se faz
E tudo se engana.
Lutamos pra vida
Por sermos capaz
De vencer no amor.
Tudo o que sonha
Faz-nos doer....
Graça cumprida
Tem aroma de flor.
Por mais estranha
Quando se finda
Faz-nos contente
Pra não se perder.

(Poeta- Dolandmay)

sábado, 29 de agosto de 2009


No sonhar de uma fada

Que lindo sonho você tem,
És meigo e de tal ternura
Que não escondes a ninguém.
Quando sonhas é realidade
Porque vives de magia.
Tu trouxeste-me tanta paixão
Mas também quanta orgia...
Tu brincas, me mata de desejos,
Ao gosto dos teus beijos,
Por tocar a minha boca
Sem que te percebas que isto ocorra
No imaginar quando te vejo.
Fico em brasas, ergue as chamas
Na vontade que me seja
Este menino quem tu amas!...

(Poeta- Dolandmay)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009


Amor Prisioneiro

Preço ao teu Amor
Não sei o que faço!
Eu só sei pensar
Nos teus passos...
E em mais ninguém!
Pois só você tem
Os meus sentimentos.

Por querer-te tanto
Na vida assim
Vivo em tormentos...
Por saber que jamais
Terei em mim
Os teus encantos...

Tu foste como um raio
De chuva forte
Em tarde de verão...
Vinda de tal sorte
Atingiu o meu coração
E se findou!...

Agora, aprisionado
Eu só sei pensar
Naquele passado...
Em que me amou!

(Poeta- Dolandmay)

terça-feira, 25 de agosto de 2009


-A Beira Mar-
(Canção do dia)

Ó bela sereia
Que canta nos mares
Enfeitiça-me agora
Com a tua canção,
Faça-me louco
Louco de amor!

E deste peito quente
De sangue fervente
Tira todo o sufoco
E toda a dor...

Pois o coração
Deste Poeta amado
Com tanto pecado...
Tanto músculo
E tanto sangue tem!

Ó bela sereia
Não me demora
Com o teu cantares,
Pois ao crepúsculo
Não sou ninguém!

(Poeta- Dolandmay)

sexta-feira, 17 de abril de 2009

ftp://
Despedida

Enquanto houver a esperança
Estarei a te esperar... meu Amor
Vai, guardarei de ti lembrança...
Um dia, vou ter-te de volta, minha flor

Eu te Amo! minha vida
Por Amar-te tanto, pode partir
Ficarei aqui, querida...
Amo teu Amor, és meu existir...

Sei que não fui quem esperava
Que nunca estive presente
E tú, sempre dizendo que me amava
Ai! querida, não consente...

Esta minha vultosa existência
De não ter no coração nenhum pudor
Sem fazer de ambos, uma essência
Agora fico aqui, com minha dor

Vai, quero ver-te feliz!
Um dia vou te encontrar...
Quero que esqueças o que fiz
Que o meu ser, te fez chorar

Hoje, de mim, só resta o quebranto
Do Amor que tive mas não possuí
No coração, apenas o pranto...
Da vida que queria viver, mas não viví...

(Poeta- Dolandmay)

Esperança

"Fazeis a vossa história,
Buscais a esperança...
Na Alma carregues o sonho,
Com a fé tudo conquistarás"

(Poeta- Dolandmay)

Menina Rosa

É tão doce esta menina
Rostinho lindo de encantar
Um olhar que extasia, e domina
Como as lindas noites de luar

Olhar de vida, olhar de Amor
Bela donzela, és como a natureza
Surgiu radiante abrindo-se em flor
Rosa vermelha, de rara beleza

Corpo de fascinar, uma pintura
Porte de princesa, astro brilhante
Fronte altiva, linda e pura
Cor de pecado, és fascinante

Teu cheiro é bem sedutor
És aroma de pura beleza,
Fogo ardente, não tem pudor
Creme de pele, uma leveza

Em ti, respiras a louca paixão
Que estonteia, e fascina
Faz pulsar forte o coração
Como brisa pelegrina...

Teu Amor não podes entregar
Não tem causa, és pranto sem dor
Como espírito, não podes Amar,
Pois é rosa, Rosa do Amor.

(Poeta- Dolandmay)

Conciência

"Sem o Amor,
Não terá fim toda a Maldade
Tudo que os tolos dominam,
Em sua vaidade;
Não haverá descendentes
Que deles se alegrarão,
Pois tudo é aflição de espírito,
É distúrbio de coração."

(Poeta- Dolandmay)

domingo, 22 de março de 2009


Noite vazia...

Vento uivante...
Ouço o barulho a penetrar
Pelas frestas de minha janela
Ao som de aquarela...
Como uma canção de ninar

Adormecido...
Vejo um mundo encantado,
Um belo som apaixonado,
É minha sereia a cantar;
Mas não a vejo, não a sinto.

Tento acha-la, não consigo,
Ouço apenas as ondas fortes do mar,
Em sua plenitude a balançar.

Com o pulsar do meu coração,
Vejo estrelas no céu, ilusão!
Noite vazia, tempos iguais...
Apenas um sonho!...
Magia!... nada mais.

(Poeta- Dolandmay)

Mulher Paixão

Simples como a Arca
Bela como a gaivota
Brava, és furia de leão

És tú, és Mulher,
És Paixão !

(Dolandmay)
ftp://
Êxtase

De mim aproxima-se
Se une, se entrega
Mergulha-se em suor
E de ti saborei-o
O quê há de melhor.

No teu corpo me perco
Em teu peito me tranco
Por inteiro me entrego
Em delicias de amor.

Em tuas curvas perfeitas
Viajo em desejos latentes
Vibro de paixão e ternura
Sem conseguir controlar
As loucuras da mente.

Assim nos fundimos
Em âmago profundo
Até chegar em êxtase
Num delírio só nosso
Conquistamos o mundo.

Num gemer!...

(Dolandmay)

Valente

E é assim
Envolto de suprema ventura
meu coração fala de Amor.

Fala de injustiça
e diz quanto pesa uma angustia,
mas não deixa de ser poeta.

Poeta da beleza
entre espinhos e rosas...

(Dolandmay)

Versos a Helena

Se eu soubesse pintar
Todas as cores iria usar...
Rosa linda, menina pequena
Retrataria Helena...

Olhos negros, transparentes,
Nariz reto, maçãs salientes
Um rosto digno de figurar,
Em todas as capas fotografar

Não retrata em revista
Pobre menina, não é artista
No entanto, grande e voraz,
Pequena, mas sabes o que faz

Não desfila em passarela,
Nem ouve som de aquarela
Em luxo não sabes nadar,
Mas Helena, sabes Amar!

O seu Amor és fogo ardente
Flor singela, rosa florente
Pela noite andas embalada
Até o findar, da madrugada

Linda menina, de encantar
Como és lindo o seu caminhar...
Queixo levemente pronunciado
És Helena, quem tenho Amado.

(Dolandmay)

Amor e Alma

"Forte é o Amor, porque do fogo foi criado;
E dura é a Alma, pois da terra foi moldada!"

(Dolandmay)

Minha Alma em Você

Eu queria ser uma brisa
Para o teu rosto tocar...
Ser o brilho dos seus olhos
Para em tuas emoções estar.

Eu queria ser as suas lágrimas
Para em tua face rolar...
Ser o mel de sua boca
Para em teus lábios gotejar.

Eu queria ser seu sangue
Para em tuas veias caminhar...
Ser o seu coração
Para sentir teu pulsar.

Eu queria ser a sua pele
Para sentir teu queimar...
Ser os seus pelos
Para sentir teu arrepiar.

Eu queria ser a sua fonte
Para tua alma banhar...
Ser a sua água
Para tua sede saciar.

Ah! como eu queria ser
O seu ar a respirar...
Ser o seu prazer
Para sentir teu Amar!

(Dolandmay)

Doce Magia

"A Vida nos priva

cercando-nos em um circulo de desencanto e sem Amor,
mas o Poeta com sua magia e encanto nos trás o sonho
e a esperança de um novo mundo"

(Dolandmay)


Imaculada

Tu nasceste de um beijo
De ternura e desejo,
Num afeto de emoções,
Num fundir de corações.

Oh! calor insano, no meu leito,
Loucura sentida, corpo perfeito!...
Luz fundida, pele aveludada.

Fostes moldada, para o meu amor,
Com a beleza, da mais bela flor
Surgiu radiante, para ser amada...

Bela imaculada, que me faz delirar
Quero viver, sentir, desejar...
-O seu Amor infinitamente...
Para eternamente... poder te Amar!

(Dolandmay)
ftp://

segunda-feira, 16 de março de 2009


Não me deixe só

Põe-me em teus braços,
Envolva-me em seus enlaços,
Nos lábios me de um beijo,
Sacia-me este meu desejo...

De tanto te querer!

Põe-me em seu coração,
Da alma tira-me a ilusão
-Forte bates em meio peito!
Deita-me em teu leito,...

Faça-me o teu ser!

Põe-me sobre teu manto,
Tira-me do meu acalanto,
Me ama! e me dá seu carinho...
Amada! não me deixe sozinho...

Sem você não vou viver!

(Dolandmay)

Sensibilidade

"A sensibilidade flui do coração
quando encontramos Almas puras
que nos levam ao êxtase da alegria e do Amor"

(Dolandmay)

Alma perdida

Meu coração está ferido
No corpo, sinto um ar gélido
A alma de minha vida,
Minha inculpe, minha querida,
Meu grande sonho, meu Amor!
Foi-se embora, ó dor!

Meu coração que era chama
Um rio de sangue, agora derrama...
Minha alma rasteja pelos pantanos,
Das aves, não ouve mais os cantos
Do dia, não conhece mais a cor,
Sem brilho, sem raios de Amor.

Ai! querida, minha vida,
Minha alma esta perdida...
Como lírio de velho outono
Que vives em abandono...
Esperando do vento a sorte...
-Brisa que o livra da morte.

Volta Amor!...és minha vida,
Pois Amo-te! querida,
Tira de mim esta grande dor
Que me consome sem pudor...
Meus suspiros já formam vento,
As lágrimas, mar de tormento...

Ó Amor, minha bela, volta!...
Abre-me o céu, as nuvens corta...
Mais nada há -que amar na terra!...
Sem ti, minha vida se encerra!
Límpida Alma -singela flor,
Devolva-me a vida! -o Amor!...

(Dolandmay)

Desejos meus

Vem Amor... me Amar!
quero sentir o teu corpo,
e em teus braços delirar...

...Num calor insano, aspirar
toda loucura sentida por ti,
pra sentir teu arrepiar.

Vem Amor... me satisfazer!
fundir os nossos corpos,
e os corações sentir bater...

...Num frenese delirante,
em desejos e emoções
nos amarmos como amantes.

Vem Amor... sou teu ser!
Tira-me da alma a ânsiade
tanto querer...

...Juntarte a ti meu eu,
o Amor que me consomes,
e teu desejo... no meu!...

(Dolandmay)

Saudade

Saudade de você
saudade que só, fala em ti.
Procura-a por todo caminho.
Lembrar de você,
acarecia meu coração...

Esta ausência profunda
me diz que não vivo sem ti
me tira o inverno.
me dá emoção...

Sinto falta de seus carinhos,
sua alegria, seu jeito meigo,
de sua presença, que não está
para aquecer minha alma
que só pensa em te amar.

Mulher de sonhos, de alegria.
És tu, minha eterna musa
minha sonhada fantasia.

(Dolandmay)

Semente

Buscais o Amor;
Porque és da terra a vida!
Sobre o mal não pereça;
O bem não negues;
Não sejas de rocha o teu coração,
E não serás consumido...
- O próprio corpo pela terra
E sim o espírito ao Verdadeiro!

(Dolandmay)
ftp://

Mulher - Amor

Ó mulher,
Quem és tú?
que me encantas
com palavras e poemas

Ó mulher,quem és tú?
que se ronova dia a dia
Lê essencias da alma
que em mim habitas
me falando em diademas

Ó mulher,
quem és tú?
que ampara minhas tristezas
e na minha solidão me domina.

Ó mulher,
quem és tú?
que me tomas como homem,
me entendes,
sabes o que sou.

Ó mulher,
quem és tú?
que diz palavras sinceras
que me fala de amor.

Ó mulher,
quem és tú?
bella como a lua cheia,
pura como o sol brilhante,
formidável companheira.

Ó mulher,
quem és tú?,...
Se tu mesma não sabes,
Ó, mais bella entre todas,
És o meu Amor!...

(Dolandmay)

Loira - Desejada

Ó tú,
és minha loira mais linda!,
com teus cabelos cor de ouro,
tua boca doce como mel.

Teu coração,
o mais bello e precioso.
Teus olhos, cor de pecado,
brilhantes como as estrelas.

Quão bello são teus passos,
algo como dança,
formidavél.

Tú és bella,
ó mulher disposta,
com curvaturas ornamentais.

Teu falar é doce,
seus sons voadores.
És infinita mulher,...
de sonhos desejados!

(Dolandmay)

Mulher sensual

Vem Amor...
Que estou te esperando...
Quero sentir o tremor
de seu corpo, me beijando

Vem Amor...
Que estou te esperando...
Quero sentir sua boca,
seus lábios, sua língua
nos meus seios me sugando

Vem Amor...
Que estou te esperando...
Derramo para ti todos os sucos
quentes, ardentes, envolventes

Vem Amor...
Que estou te esperando...
Me beija, me sulga,
enxuga meu corpo
com seus beijos calientes

Vem Amor...
Que estou te esperando!...

(Dolandmay)

Minhas raizes

Criei raizes
numa terra de poetas...

Criei raizes
numa terra
onde cultivam
flores de jasmim,
densa e areda
feita só pra mim

Criei raizes
numa terra
onde existe clamor,
onde respiram
um ar puro,
onde dançam
melodias de amor

Criei raizes
numa terra
onde existe
amor verdadeiro
quente,
que nos envolve
por inteiro...

Criei raizes
numa terra de poetas!

(Dolandmay)

domingo, 15 de março de 2009


Somente seu

"Se tú fizésseis parte do meu coração,
estaria ao meu lado, e teria o que é seu,
Somente seu!... seria o meu Amor!"

(Dolandmay)

Ser Feliz

Somos responsáveis
pela nossa própria felicidade.
A dependência na vida
depende essencialmente
da nossa própria vontade.
Não somos vítimas de ninguém,
de nada !

(Dolandmay)

Flor Virtual

Uma flor...

Pelo seu carinho e Amizade
Por estar sempre ao meu lado
dividindo minhas alegrias e tristezas.

Apesar de nossa distância,...
Tú estas sempre aqui,
do outro lado desta telinha.

Sempre que preciso ouvir uma palavra,
és tú que sempre está me dizendo,...
Me confortando, aliviando-me o sofrimento.

A minha Alma e meu espírito se alegra
por sua existência, pelo seu Amor!
Obrigado por me aceitar da maneira que sou,
Obrigado por existir!
Te ofereço esta flor,
com todo o carinho do meu coração,
com todo o meu Amor!,...

(Dolandmay)

Essência

A amizade é a essência do coração;
Onde repousa silenciosamente o espírito;
É o desfrutar do Amor que nele habitas!

(Dolandmay)
ftp://

Confissão de Amor

Entrei no meu jardim,
Ali encontrei o meu Amor,
Com um sorriso em esplendor...
Colhias flores para mim;

Com um só pendente de teu colar,
Andavas pelas fendas das flores...
Iluminando o caminho com bellas cores;
Olhando-me passavas a exclamar:

Tu bates forte em meu coração,
És meu amor sem preconceito;
Ah! lindo amor-perfeito!
Que me tira toda a razão.

Tua face, linda feito flor!...
Traço perfeito, bem florente;
És o fogo encandecente...
Deste meu grande Amor.

Tu és meu florecer!
Alma linda! como és pura;
No prazer e na ventura,
És quem tanto quero ter.

Meu amor por ti nunca vai mudar,
Mesmo que o mundo, em sua maldade;
Para sempre em minha eternidade...
Jamais vou deixar de te amar!...

(Dolandmay)

Minha busca...

Sou Poeta, sou Amante
De coração frágil, Alma andante...
Em busca do Amor!...

Encontrar? não sei...
Em minhas poesias me entreguei
Rabiscando traços em flor.

Em cada palavra um instrumento
Sinto reproduzir o sentimento...
Que chegas sem pudor.

De um ser que tenha vida...
não sejas apenas chama erguida...
Sem Alma nem dor.

Mas que tenhas fogo ardente,
Corpo altivo e bem florente
De vivo fulgor.

Em meu mar de linhas tortas
Envergo-me em paixão, abrindo as portas
Como a vara o pescador.

O que escrevo em pensamento
Alivia as tempestades e o tormento
Das rajadas no furor...

Que me consomes desta distância
De ver perdida a constância
Com tanto rigor.

No coração não perco a esperança
Em meu versejar a confiança...
Em busca do Amor!...

(Dolandmay)